MODO Talks: UX Writer Glaucia Lopes conta tudo sobre a profissão e dá dicas para iniciantes

A produção de conteúdo sempre fez parte da carreira de Glaucia Lopes. Formada em Relações Públicas, ela trilhou o seu caminho como redatora, revisora e analista de marketing até chegar a sua atual função como UX Writer

A ideia era que eu atuasse como UX Writer por apenas 15 dias, enquanto procuravam outro profissional. Depois de um tempo, eu percebi que estava gostando da área e gostaria de focar na carreira”. disse Glaucia. 

Nesta entrevista, Glaucia conta sobre os desafios de fazer uma transição de carreira- ainda que dentro da comunicação- e o dia a dia de trabalho de uma UX Writer, uma carreira promissora! Confira a primeira entrevista do Blog MODO!  


MODO: A área de comunicação é plural e as profissões e funções se misturam. Ainda assim, abrir os horizontes e desviar da sua área de formação foi um desafio para você? 

Glaucia: Ser formada em comunicação com certeza facilitou a transição. Se você pegar todo mundo que trabalha com UX, grande parte é formada em comunicação, design, marketing. São áreas que se correlacionam muito, por causa da experiência do usuário. É uma coisa que a gente aprende na faculdade, a pensar no nosso público, o que cada tipo de público vai pensar e analisar. Então é super aplicável para a área de UX também. 

MODO: Como você se tornou UX Writer? 

Glaucia: Estagiei como redatora, relações públicas e depois coordenei uma equipe de redação. Por último, entrei na Mooven para atuar como analista de marketing com foco em conteúdo. E lá fui apresentada ao UX Writing pelos UX designers.

Eu já achava o trabalho deles super interessante, mas não sabia que tinha espaço pra mim ali. Então eu passei um ano inteiro pesquisando e estudando mais sobre o UX Writing até que surgiu uma oportunidade de atuar como UX Writer em um cliente da Mooven. 

A ideia era que eu atuasse por apenas 15 dias, enquanto procuravam outro profissional. Era uma posição urgente. Fiz a entrevista no cliente, fui transparente em relação a minha experiência e fui contratada.  

Depois de um tempo, eu disse que estava gostando da área. Fiz um curso de UX Writing e decidi que iria focar nessa carreira. 

UX Writing é uma carreira promissora

MODO: Quais os principais desafios de ser UX Writer?

Glaucia: Tive muita dificuldade para escrever textos curtos, como os que os microcopy pede. Já trabalhava há 5, 6 anos só escrevendo textos longos. O que acontece com UX Writing é que os textos são menores por que são divididos em várias telas. 

A gente comunica tanto quanto um texto longo, mas em telas separadas, então não dá a sensação de que é muito texto. Uma dor que eu tinha quando trabalhava com copywriting é que as pessoas não liam o que eu escrevia.

Um exemplo prático que todo mundo vive: se você mandar “um textão” no Whatsapp em um único bloco, poucas pessoas vão ler. Mas se você enviar o mesmo texto de duas em duas linhas, elas leem. Por isso, só de conseguir chegar no usuário, eu me sinto mais confortável como UX Writer. 

Além disso, em UX, você tem que abrir mão das suas preferências pessoais. Uma pessoa que não é especialista em texto pode entender mais sobre o cliente do que você e sugerir alterações, porque a pessoa tem evidências pra trazer essas sugestões. 

É preciso entender que a pesquisa está mostrando o que usuário quer, então não pode ser só o seu achismo, tem que ter entendimento.  

MODO: Quais as características de um bom UX Writer? 

Glaucia: Um bom profissional precisa de dedicação, principalmente se está começando. É uma área que ainda está conquistando um espaço no mercado. Se você é contratado e não se dedicar, você não vai mostrar o valor da profissão. Se dedique à área ao máximo. 

MODO: A comunidade de UX no Brasil é unida? 

Glaucia: Com certeza. Por exemplo, nos grupos de Whatsapp para UX Writers estão os autores de livros sobre o assunto, como o Bruno Rodrigues (autor de Em busca de boas práticas de UX Writing), vários profissionais que são populares no Medium, como a Ludmila Rocha.

Eles não têm problema em compartilhar conhecimento e dividir as ferramentas que usam pra ajudar outros profissionais. Também tem os meetups online.

Tem um pensamento coletivo da área que é ajudar outros profissionais a crescerem e assim conquistar o reconhecimento que o UX Writing merece. Ainda estamos desbravando, conquistando espaço no mercado. 

Esquema explicativo da metodologia Double Diamond

MODO: Como é o seu dia a dia de trabalho? 

Glaucia: A rotina varia muito. A metodologia Double Diamond é um exemplo do processo de trabalho: o time de produto inteiro está reunido e é apresentado um problema geral a ser resolvido. Por exemplo, precisamos vender material escolar. Então começamos com uma pesquisa, que faz parte do processo de Discovery, para entender a melhor forma de vender esse material.
 
A segunda etapa é apresentar toda essa pesquisa que juntamos e começar a levantar hipóteses, a partir do resultado da pesquisa.  

A partir daí, já temos um problema mais específico e uma ideia mais certeira de como resolvê-lo. A solução pode ser criar um aplicativo, por exemplo.

Na Ideação, criamos wireframes do aplicativo, decidimos onde vai ficar cada informação, se vamos ter uma ou duas linhas de conteúdo e qual tom será usado em cada momento, de acordo com a criticidade da informação sendo passada.

Na última etapa, fazemos o protótipo. Aqui é a hora de desenvolver o conteúdo e aplicar as palavras que a pesquisa recomenda. É também o momento que fazemos testes de usabilidade com os usuários, onde pedimos para eles fazerem tarefas para entendermos se o aplicativo está claro. 

No final do Double Diamond, chegamos na solução específica, e ela vai pra desenvolvimento. Depois, tem todo o trabalho de registrar o que foi descoberto nesse projeto para uso dessa marca.

MODO: Como é o trabalho em equipe e contato com outros profissionais? 

Glaucia: Nos comunicamos basicamente com todas as área, mas o UX Writer atua dentro da equipe de produto. Então ele vai conversar com o UX Designer, com o Product Designer, com o UX Researcher, Desenvolvedor, Scrum Master, P.O., VSO.

O contato é diário, para entender quais melhorias que o produto precisa. Tem muitas dinâmicas para entender o produto. E também tem o contato com outros profissionais que se relacionam com o produto, como lojistas.

Nos comunicamos com os profissionais que tem contato direto com o nosso público, entender o que está faltando, como podemos orientá-los melhor, alinhamentos com a área de marketing para alinhar o tom da marca. 

MODO: Você tem conselhos para quem está começando ou quer iniciar a carreira como UX Writer? 

Glaucia: Para entrar, a minha recomendação é ler muito na internet. Existe o UX Writing Brasil, que reúne várias dicas de artigos e diversos cursos também, para todos os bolsos.

Existe também o desafio Daily UX Writing, são 15 dias recebendo exercícios de UX por e-mail.

MODO: O UX Writer precisa otimizar textos em espaços pequenos, mostrando sua habilidade de concisão. Aí vai um desafio: explique em poucas palavras o que é o trabalho de UX Writer! 

Glaucia: O UX Writer é o responsável por criar palavras que vão guiar o usuário até seu objetivo.